CENTRO DE ATENDIMENTO AO COVID-19 E SINTOMAS GRIPAIS

Publicado por: Sexta, 04 Setembro 2020 11:51 24

Com o lançamento da estratégia dos Centros de Atendimento, o Ministério da Saúde busca conter a transmissibilidade do coronavírus ao reduzir a ida de pessoas com sintomas leves aos serviços de urgências ou hospitais, assim atuando na identificação precoce dos casos, com o adequado manejo das pessoas com síndrome gripal (SG) e Covid-19.

Além de reduzir a circulação de pessoas com sintomas leves em outros serviços de saúde, a implantação dos Centros de Atendimento busca minimizar os impactos decorrentes da pandemia e permitir que os demais serviços da APS continuem atuando em suas atividades essenciais, como acompanhamento das pessoas com doenças crônicas, pré-natal, imunização, entre outras. É fundamental garantir a continuidade do cuidado às pessoas que são acompanhadas periodicamente pelas equipes de Saúde da Família (eSF), equipes de Atenção Primária (eAP) e demais equipes e serviços da APS. 

Os Centros de Atendimento podem ser a referência para o monitoramento de SG e Covid-19 ou podem comunicar os outros serviços da atenção primária e vigilância para realizarem o monitoramento dos usuários sob sua responsabilidade.

Infraestrutura dos Centros de Atendimento


O espaço físico mínimo é uma exigência para a transferência de incentivo financeiro referente aos Centros de Atendimento,  que é definido segundo três tipologias. Os gestores podem adaptar as salas já existentes no estabelecimento de saúde a fim de garantir a instalação adequada desses ambientes. Recomenda-se que os consultórios sejam mantidos abertos, bem arejados e limpos com frequência. Deve-se assegurar distanciamento mínimo entre o profissional e o usuário do serviço e garantir a oferta de máscaras cirúrgicas para os usuários sintomáticos respiratórios logo na entrada dos estabelecimentos de saúde.